É a vida, cara

|
Depois de um post útil, vem o fútil. Se bem que, para muita gente, falar da vida alheia ainda é grande ocupação do tempo. Brad Pitt diz que Angelina Jolie não foi responsável pelo fim do casamento dele com a Jennifer Aniston. Antes que eu comece a defender a Rachel, de Friends, - porque não vou lá muito com a cara da Jolie -, vamos pensar na afirmação do cara. É ÓBVIO que uma separação não acontece assim. Dizer que a Angelina foi o pivô é simplificar as coisas, acreditar que os sentimentos são simples, quadradinhos, e que uma só pessoa pode acabar com uma relação bem construída. Acontece que nem sempre as relações são bem feitas. Daí, quando desmoronam, os paparazzi de plantão começam a sugerir "quem traiu quem". Oi.
Falar da vida dos outros é muito feio. Falar o que não sabe da vida dos outros é terrível. Falar o que não sabe e ainda julgar é medonho. Agora, falar o que não sabe, julgar e ainda num momento tão dolorido é chutar cachorro morto cantando caracarambacaracaraô. Bonito mesmo é ver que Brad e Jen se respeitam muito. Falam com carinho um do outro, aparentemente porque sabem que o que se passou com eles é deles, de mais ninguém. Porque entendem que pra ser bom, tem que ser pros dois. Porque não se julgaram. E porque mandaram todas essas pessoas que insistem nessa história de traição para aquele lugar que, por eufemismo, chamamos de a puta que o pariu.

3 comentários:

Agorafóbica sociofóbica depressiva disse...

"""ANINHA SE IDENTIFICANDO COM A VIDA DO BRAD DETECTED""" hahahahahahahaha paia isso =p
e vem cá, pra mim este é o post útil, porque esse acordo ortográfico aí, eu tô me cagando hahahahahaha, vou escrever "idéia" com acento até eu morrer :D
Mas eu fiquei com super dó da Rachel hahahahahaha, pô eu tava mó feliz quando eles estavam juntos hahahaha, era tipo meu sonho do mundo ideal hahahahahaha.
mas que pra mim dona Angelina foi a culpada, isso foi, não digo que houve traição, mas acho que Mr Pitt já estava mais do que interessado nela.
Ui, como somos bem informadas não? cultura pura!
hahahahahahahahahaha

só tem uma disse...

Eu acho que a crise mundial não é a econômica: é a do "se acha" e a do Macunaíma: a criatura se acha com direito de julgar, de aprovar, de condenar por mera preguiça ( aí é que entra o personagem do Mario de Andrade) de pensar e cuidar de sua própria vida. Pois, pensar e cuidar de suas coceiras e feridas, antes de abrir a boca sobre o outro, dá um puta trabalho.....

Anne disse...

Não to nem aí pra quem ta com quem o que importa é o que filhos deles são lindos!!