Sapatilhas famosas

|
Eu sou impressionada com o pé de algumas bailarinas famosas. Não estou falando da parte feia, que todo mundo deve imaginar como é (unhas tortas, calos, machucados, joanetes, etc), e nem do tamanho do colo de pé que elas têm.

Ah, você não sabe o que é colo de pé? O famoso cou-de-pied (olha a boca!) todo mundo tem, e é o dorso do nosso pé. Mas se ele é bom ou não para a dança são outros quinhentos.

Pausa para a explicação ilustrada:

Colo de pé feio. Não dobra nem com macumba. Se você nasceu com ele, com muuuitos exercícios pode até conseguir melhorar, afinal até a Ana Botafogo teve seus dias de miséria. E, para girar e saltar na ponta, é extremamente seguro. As bailarinas que giram horrores geralmente não têm tanto colo de pé.







Colo de pé bonito. Se acompanhado de uma bela linha de pernas, são o sonho de consumo de qualquer bailarina. Os pés bonitos assim vão desde os bem desenvolvidos até os extremamente flexíveis, que geralmente saem melhor nas fotos. Mas dão um trabalho! As sapatilhas de ponta mais bonitas não duram uma semana. Elas literalmente quebram no meio. Girar é complicadíssimo, pois o eixo da perna começa de um jeito e termina de outro com o peso do corpo sobre o colo do pé. É o meu tipo, não sei se feliz ou infelizmente.









Colo de pé absurdo (nível Alessandra Ferri). Esse é o motivo do meu post. Como disse, não tem tanto a ver com o tamanho do colo, mas sim com o fato de um ser humano ficar tanto tempo em cima dele. Pior, com que sapatilha?














A Gaynor Minden, que eu uso e conheço, um dia pareceu ser a coisa mais perfeita para quem tem pés assim. Primeiro porque ela é feita de um material “inquebrável”. Segundo porque ela tem vários níveis de firmeza. Realmente, depois dela, nunca mais torci o pé em aula, coisa que vivia me acontecendo. O pé fica estável, os giros mais seguros, o balance (equilíbrio) é muito maior! O problema é que ela puxa para trás. Faz sentido, não? Enquanto teu pé te joga para a frente, ela segura. Isso faz com que às vezes o seu possível pé de Alessandra Ferri não saia tão bem na foto. O outro problema: você fica viciada na bendita. Silenciosa, segura, durável, macia... Nem parece uma sapatilha.

Bom, mas a Alessandra Ferri não usa Gaynor. Fiquei a tarde toda procurando que sapatilha as bailarinas mais famosas usam e aqui está uma listinha, para quem ficou curioso ou não:

Grishko: as estrelas do Mariinsky costumam usar as dessa marca, que está para o teatro russo assim como a Freed está para o New York City Ballet. Mas uma ou outra bailarina prefere a Gaynor, porque sapatilhas são coisas muito pessoais.

Bloch: Paloma Herrera, estrela do American Ballet Theater trocou a famosa Capezio por esta marca. Sarah Lamb (Royal) e Irina Dvorovenko (ABT) também usam.

Gaynor Minden: o site aponta inúmeras estrelas como fãs da marca. Entre as principais: Alina Cojocaru e Natalia Osipova, do Royal Ballet e Claudia Mota, do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Freed of London: Darcey Bussell, Marianela Nuñez, Polina Semionova e Alessandra Ferri usam. Para mim são os pés mais bonitos e famosos. Mas tenho certeza que a fôrma delas é especial. Ana Botafogo também usa sapatilhas dessa marca, mas não sei o modelo, ano, cor e placa.

Resumindo: a Gaynor é a Nike das sapatilhas. Freed é a All Star. E, entre uma e outra, sou bem capaz de ficar com as duas.

----------------------------------------------

Bom, e para quem quiser saber um pouco mais sobre modelos e marcas, segue um guia especial (que no fim das contas fiz mesmo para minhas alunas e pro pessoal do ballet poder conhecer um pouquinho mais). Aproveitem!

Freed of London
É uma marca de sapatilhas muito bonitas, leves e confortáveis, mas feita para pés fortes.

• Freed Classic
Usada pela maioria das principais companhias internacionais. É bastante dura.
• Freed Wing Block
Projetada para bailarinas que necessitam de um pouco mais de suporte, é silenciosa e um pouco flexível.
• Freed Student
Originalmente desenvolvida para as estudantes da Royal Ballet School. É uma sapatilha de palmilha bastante flexível.
• Freed Soft Block
A sapatilha ideal para a transição das de meia ponta para as de ponta.

Gaynor Minden
Sua escolha se baseia em 6 medidas específicas: Tamanho (Length), Box (Caixa), Dureza (Shank), Largura (Width), Gáspea (Vamp), Calcanhar (Heel). Várias combinações podem ser feitas.
Todas as pontas Gaynor Minden são montadas com solados e box compostos de um polímero chamado Elastometric. Diferente das convencionais bases de papelão ou gesso, Gaynor Mindens não deterioram nem quebram. Tenha certeza na hora de escolher sua dureza adequadamente. O solado das pontas Gaynor Minden são fabricados com uma curvatura que seguem o arco de seus pés, mas caso precise de alguns ajustes você ainda tem a opção de ajustá-la com o uso de um secador de cabelos.

Capezio
Provavelmente é a marca mais vendida no Brasil, é confortável, leve, dá uma boa estabilidade, fica bonita no palco, e é boa para fazer aulas. É uma marca forte também nos Estados Unidos, e as importadas são ainda mais bonitas e delicadas do que as feitas aqui.

• Fouetté: gáspea em "V", alta, normal. Valoriza o colo do pé. Cordão lateral. Para todos os tipos de pés.
• Partner: cetim solto. Para iniciantes, avançadas e profissionais. Alonga o pé. Silenciosa. Flexível. Sola costurada. Plataforma larga para um perfeito balance. Elástico transparente.

Cecília Kerche
Bonita, confortável, leve, possui uma grande variedade de modelos, cada um para um tipo de pé. A grande maioria detesta esta sapatilha, pois apesar de todos os atributos já citados, normalmente ela não quebra onde queremos, ou então quando quebra não dura praticamente nada. É boa para apresentações, porém é a típica sapatilha descartável.
Faz muitos anos que não uso, mas tenho achado bonita.

Balletto
Esta é uma marca brasileira, presente em vários festivais com seus estandes. Tem produtos bem interessantes, como a "pirueteira" e a "chinerina", alongadores de colo de pé. As sapatilhas são ótimas para quem não tem muita força nos pés, pois têm uma palmilha bastante flexível, até mesmo as reforçadas. Ficam bonitas nos pés por serem delicadas e bem acabadas. Porém, depois de quebrada, a ponta fica realmente muito feia. Enfim, é a sapatilha adequada para quem tem pouca força ou para quem está começando a usar pontas.

• Modelo Russo: para todos os tipos de pé, sua gáspea baixa valoriza bastante o colo do pé.
• Modelo Inês: adequado para pés delicados e estreitos.
• Modelo Julie: pés com largura normal.
• Modelo Luise: ideal para pés largos.
• Modelo Italiano: para quem tem bastante colo de pé.

Millenium
São boas por possuírem uma grande variedade de modelos, duram bastante, desde que seja comprado o modelo certo para seu pé. Para fazer aula são ótimas, forçam o pé a trabalhar mais, porém para apresentações não são muito aconselhadas por pura questão estética. São muito feias, tem um acabamento péssimo, e fazem muito barulho quando novas.

• Adagio: sapatilha estreita, com gáspea em V, alta, nem dura e nem mole, para quem tem pouco colo de pé.
• Balance: sapatilha larga, dura, com gáspea alta, para quem tem muito colo de pé e bastante força.
• Chesini: sapatilha bem mole para iniciante, mais mole do que Standard.
• Prelúdio: sapatilha estreita, com gáspea em V, alta, nem dura e nem mole, para quem tem pouco colo de pé.
• Standard: estreita, com gáspea em V, própria para iniciantes ou palco.
• Tecnic: larga, dura, com gáspea baixa, para quem tem pouco colo de pé e bastante força.
• Vaganova: estreita dura, com gáspea em V, para quem tem força no pé e bastante colo.

19 comentários:

lioness disse...

Eu sempre admirei Ballet, mas não me arriscaria. Acho que é muito mais do que uma arte, e também mais do que um esporte - exige muito preparo físico, concentração e sensibilidade. É maravilhoso!

Clóris Daniela disse...

Ana, ADOREI esse guia. Na próxima aquisição pedirei seu palpite com toda certeza. A minha é Cecília...mas como o uso é recente não sei se é a melhor e como não pretendo mais abandonar essa paixão, muitas outras virão!

Bjokas da sua aluna, Cló!

Maria Maricota disse...

Apesar de não entender de balé, até pq eu fiz muito piquititinha e por muito pouco tempo, gostei de ler este post. bjs

claudia disse...

amei, minha bailarina tem pes fortes, ja usou todas as kerches e nada, nao gostou da gainor pq a gaspea é baixa, nao usa milenium pq é feia, balleto descartavel...risos to frita... usa partner 180 super reforçada, mas agora com essas dicas vou tentar a freed ou a grishko
muito obrigada... sou mãe de uma bailarina de 13...risos violenta a menina... beijos

Natália Cacozze disse...

Gostei muito da sua postagem, estava indecisa se eu comprava a sapatilha 120 russian da Balletto ou a Gaynor Minden , enfim como você disse a Gaynor Minden é um nike então vou comprar ela,amei sua postagem !
Parabéns !

maria clara disse...

caramba!amei!!!!suas dicas são perfeitaas
entre nike e all star eu prefiro all star......vou experimentar a freed..como a minha mãe disse(claudia)eu sou meio violenta e totalmente exigente....hahahahaha
obrigada
parabéns

Anônimo disse...

Gosteii Bastantee ! Muito interessante e ajuda muito a escolher uma sapatilha e saber sobre o seu pé !
Eu nao tenho muito colo de pé nao ! Mas ja to começando a ficar com de tanto forçar no ballet ! Mas eu prefiro assim do jeito que táá --'
Beijos ;*

marinha disse...

bem, na verdade tenho a Gabriela, que tem 4 anos e está começando a dançar ballet, a minha cidade é pequena, com três escolas de ballet apenas, e gostaria de saber como posso adquirir uma boa sapatilha, pois a qualidade das que tem aqui são ruins. POr exemplo, poderia ser de pano?

Anônimo disse...

Eu adorei sua matéria. Meu pé é extremamente curvado. Tenho muuito colo de pé. Sapatilha de ponta ñ dura 2 min nele. Já exprerimentei a gaynor. Ela ñ quebra e tals, mas meu colo de pé sai dela pq a caixa dela é mto baixa. Vou ver se essa Freed of London serve pra mim.
Obrigada!!

Senhori Positoni disse...

você só esqueceu de citar que a Gaynor tem uma grande estrela que a usa e é a garota propaganda Gillian Murphy - a mais nova interprete do "Lago" do ABT no dvd... ela assina a prpaganda da Gaynor!

jhully baby disse...

oi vc poderia seguir o meu blog?eu esou criando elli agora e preciso ke alguem comece a divulgar elli

jhully baby disse...

oi vc poderia seguir o meu blog?eu esou criando elli agora e preciso ke alguem comece a divulgar elli

Ana Marta disse...

simplesmente adorei este blog. ballet para mim é um sonho, um sonho muito grande.
já pratiquei há uns anos, estou pensado em voltar a dançar, tenho 16 anos, será tarde?!

Anônimo disse...

Oi, sempre usei a millenium, a minha ultima sapatilha foi capezio, agora vou testar a freed of london que voce falou, gostei das informacoes, muito obrigada.
=] / depois que eu usar essa freed of london eu conto pra voces como foi!
Beijos!

Laura disse...

Eu sempre usei Cecília Kerche, porque era a que me incomodava menos, mas nunca foi realmente a certa. Pedi uma Gaynor de presente de 15 anos, se ganhar conto como é!

Marcella disse...

Oi! Achei muito interessante esse "guia". Não conhecia essa marca Freed of London, conhecia somente as outras que foram citadas. Gostaria de saber se você sabe como faço para comprar estas sapatilhas. Tem algum site que vende para o Brasil?
Desde já obrigada!
Beijos!

Ana Yazlle disse...

Marcella, coloquei alguns lugares onde comprar roupas de ballet no meu blog Plano B (http://planoballet.blogspot.com/). Dá uma olhada lá. Talvez na Evollution Pirouette vc encontre a Freed. Depois me conta! Beijo grande.

Bebela08 disse...

Vc pode me dar um exemplo de sapatilha de ponta de marca italiana?

Manoela Fernandes disse...

♥♥♥