Uma verdade inconveniente

|
Assisti a pouquíssimos filmes que estavam concorrendo ao Oscar deste ano, mas gosto de ver a premiação, que geralmente é um termômetro do que pensa uma parte da ‘elite’ americana, tão perdida em meio a seus próprios conceitos. Algumas coisas me incomodam nela, mas não sou dada a criticar culturas que me cercam de alguma forma e das quais tento extrair a melhor parte.
Mas, enfim, para mim a noite teve uma grande estrela: gostei de ver Al Gore sendo muito aplaudido por uma platéia que, para mim, parecia estar vendo com um olhar estrangeiro (talvez acordando?) a situação de seu país e do mundo. Gostaria muito que os americanos cismassem com os problemas causados pelo aquecimento global. Porque, quando americano cisma com alguma coisa, sabe ser bom nisso.
Só tenho medo do que possa pensar a ‘elite’ de outros lugares do mundo. Tenho a impressão que uma parcela muito grande de pensadores contemporâneos, gente formadora de opinião mesmo, torce contra o que possa acontecer de melhor nos rumos da política lá do norte. Porque, a partir do momento em que o vilão americano não puder ser mais responsabilizado pelas mazelas às quais estamos submetidos, vamos ter que começar a olhar pro nosso próprio umbigo e ver que alguns problemas também são nossos.
Pensei nisso tudo enquanto voltava da praia para São Paulo. Vinha de carro pela marginal do Rio Pinheiros e vi que um caminhão provavelmente deixou cair sua carga (isopor provindo da decoração de carnaval?) no gramado da lateral da pista. O caminhão não estava mais lá e as placas coloridas já tinham sido levadas pelo vento em todas as direções. Enquanto elas voavam, lentamente, eu fiquei pensando se um dia conseguiremos agir mais e falar menos.

1 comentários:

Alessandra disse...

Olá Meninas! Por intermédio da Ana, descobri esse cantinho aqui. Dei uma passadinha de olhos nos arquivos de você e achei muito interessante a maneira de vocês escreverem. O blog é lotado de coisa interessantes, sarcasmo, humor inteligente e idéias que te põe o dedo na consiência ou que te tiram da realidade tediosa. E essas coisas reunidas estão na medida certa para instigar a minha vontade de SIM, voltar aqui mais vezes e SIM, tornar-me leitora assídua. MEL, muito prazer e ANA/TEQUILA um beijo bem grande e muito obrigada pela sábia indicação. Até mais, Meninas!